sábado, 10 de agosto de 2013

Ao melhor pai do mundo!

Olá!


Hoje viria falar sobre o Dia dos Pais... mas pra quem não sabe eu não tenho, nem nunca tive pai... então é algo difícil pra mim não apenas pela falta que eu sinto todos os dias, todos os anos da minha vida... mas principalmente por que aquele sentimento de "pai herói", "pai exemplo"... eu só tenho mesmo na imaginação.

Então... resolvi falar de um pai. DO PAI. Aquele que não foi por acaso, aquele que foi escolhido para "o cargo": o pai do David.
Eu nunca escondi que queria ser mãe, que queria ter a tão sonhada família que não me foi dada (pai, irmãos, casa com cerquinha de madeira branca...). E sempre falei sobre isso com o Tadashi, antes mesmo de começarmos a namorar, assim... em conversas informais de amigos mesmo. E ele sempre quieto. Não dizia que não queria... mas também não dizia que queria filhos.
Aí a gente casou (um dia conto essa história - é ótima)... 5 anos e um laudo médico que não poderia ter filhos depois... eu estava grávida! Ahhhh e agora? O japonês tremeu nas pernas (jura de pés juntos que não, mas tremeu sim que eu sei!). Eu nunca tive, nem por um instante, dúvidas que ele seria o pai fantástico que é.
Pai que antes de ser  já era: acompanhou todas as ecografias, foi a todas as consultas do pré-natal (para o desespero dos chefes dele), teve todo um trabalhão e um cuidado extremo na arrumação do quarto do bebê (falei sobre isso aqui ó), escolheu junto comigo cada peça do enxoval... no dia do parto estava lá, nos 3 dias que fiquei no hospital ele ficou comigo e o David, nos problemas que tive com amamentação, nas noites mal dormidas, nas visitas a pediatra, nos passeios, nas descobertas... em tudo.
Mas o que faz desse pai O MELHOR PAI DO MUNDO? A coragem dele. A humildade dele. O desprendimento, o amor dele. O Tadashi é o pai que nesse dia dos pais e nos últimos meses não ganhou e não vai ganhar presente. Vai dar presente. Vai dar de presente pro filho e pra esposa dele uma vida melhor.
O melhor pai do mundo que se conforma em perder os primeiros passos do filho, as primeiras palavras... pra ir longe batalhar, trabalhar, ralar muito mesmo por nós. Sentir frio, cansaço, tristeza, solidão e tantas outras provações pra semear, pra dar a chance que não teve de ver o filho crescer num lugar melhor, mais justo, com mais oportunidades.
Por que dizer que ama é fácil, provar esse amor quando se está perto também. Difícil é fazer o filho que está do outro lado do mundo, que não vê o pai há meses, não só se lembrar do pai, mas tê-lo como porto seguro, quando ao acordar grita "papaiiiiiiiiiiii". Difícil? Não para o melhor pai do mundo.
A você, Tadashi, desejamos um feliz dia dos pais e todo o amor que há nessa vida. Hoje e sempre.

Da sua família,